13 de jul de 2010

28, 29 e 30/06 Budapest

Bom, minha parada em Budapest foi mais de descanso do que de passeio e como não tenho muita coisa pra descrever tô publicando tudo no mesmo post.

Nesses 3 últimos dias andei bastante pela cidade, visitei os principais pontos (mas não entrei em museus ou coisas do tipo) e tentei viver uns dias como um mortal comum na cidade. Existe MUITO turista visitando a cidade e isso é um pé no saco, sinceramente. Tentei não visitar os pontos "obrigatórios" dos turistas, até porque muita coisa que é "obrigatória" pra um turista ver pode ser a maior chatice. E eu não tenho nenhum problema em não visitar um lugar caso ache um furada. O que eu gosto na cidade é simplesmente andar por ela sem compromisso. Conheci os amigos da universidade da Antonia (2 alemães, 1 austríaco, um canadense, um americano, um inglês nascido no Rio, um casal de alemães, uma nigeriana, um colombiano, uma costariquenha etc). A classe dela tem pessoas de 17 nacionalidades diferentes. O pessoal foi muito receptivo comigo e fomos assistir uns jogos da copa num telão em uma das maiores praças da cidade (inclusive Brasil x Chile). Estava lotado de gente nos dois dias e foi bem divertido. No último dia, peguei um metrô à noite e me encontrei com o pessoal num bar onde ia ter a comemoração do melhor amigo da Antonia, que tinha se tornado pai uns dias antes. Acho que a classe toda deles estava lá. Conversei com tanta gente que nem lembro mais os nomes e nacionalidades. E sempre que me perguntavam o que eu tava fazendo em Budapest e eu contava da bike, o pessoal ficava super curioso e perguntava mais detalhes. E como sempre, todo mundo - sem exceção - dizia que achava super legal, que queria fazer isso um dia mas não tem tempo-dinheiro-roteiro-preparo-físico e blablabla, ou seja, a mesma conversa que tenho ouvido em toda a viagem... Eu também não tinha nada disso e tô aqui. Se neguinho realmente tá a fim, ele dá um jeito e viaja. =)

Aproveitei um dos dias e fui cortar o cabelo num salão baratinho e limpinho no centro de Budapest. A tia que ia cortar não falava NADA de inglês - como 90% da população da cidade - e eu não consegui explicar o que queria, de jeito nenhum. Tive que apelar pra cultura pop e falei pra ela "David Beckham?!?" e o pior é que na hora ela entendeu. O resultado foi que saí de lá com 10 euros a menos. A notícia boa é que cabelo cresce com o tempo.

3 comentários:

  1. Legal pacas! As pessoas aqui no Brasil ainda acham a gente meio "torto" quando falamos que viver e conversar com gente de outras culturas é algo que muda nossa vida. Parece algo romântico demais, distante demais, complicado demais.

    As fotos noturnas ficaram muito boas. A cidade parece que tem um arzinho de Praga, não?

    Abraços do mano!

    ResponderExcluir
  2. Legal mesmo. O mano tem razão. Lindas as fotos e o seu cabelo!!! Demais...

    ResponderExcluir
  3. E o gatinho!!! Outro romário.

    ResponderExcluir