13 de jul de 2010

09/07 Helsingborg a Äsljunga - 73km

Na saída do albergue, peguei uma rua que descia até a beira do mar (fazia tempo que não via uma descida) e fui ali só pra tirar umas fotos. Fazia um calor brasileiro, pqp. O caminho de hoje era no sentido do centro do país e essa era a última chance de ver o mar e praia (se é que dá pra chamar 5 metros de areia com pedras de "praia"). Subi a rua de volta e fiquei na dúvida se valeu a pena, já tava suando com 3km pedalados. Meu caminho foi meio chato de fazer porque não poderia pedalar na autoestrada E4, que vai de Helsingborg até Stockholm, eu acho. Tive que encontrar estradas secundárias que seguiam essa E4 então a cada 10, 15 kms tinha que entrar numa cidadezinha, passar numa rotatória, seguir as placas, parar pra ver no GPS se o caminho tava certo e isso tomou um bom tempo. Até a cidade de Åstorp foi bem chato porque tinha muita bifurcação, saída, rotatória e escambau mas a partir daí foi tranquilo. Peguei o caminho de Örkelljunga e segui adiante mas não tava me sentindo 100%. Muito sol, saí tarde do albergue, errei algumas entradas da estrada e tal e, sei lá, hoje foi um dos raros dias que eu não tava muito a fim de pedalar e então achei melhor parar em Äsljunga, um vilarejo onde achei um albergue bom e barato (pros padrões suecos, é claro). 285 coroas suecas (28 euros) com café da manhã. Lugar decente, dono gente boa, tranquilo.

Todo dia "mais ou menos" que eu tive aqui até agora foi compensado com alguma coisa boa que me aconteceu na sequência, sem que eu esperasse. Assim que entrei no albergue, um casal de holandeses com o filho também estava chegando lá aquela hora. Nos cumprimentamos rapidinho e eu ofereci ajuda ao cara pra descarregar as coisas do carro dele até o quarto em que eles iam ficar. Conversamos um pouco, contei da minha viagem e ele da deles. O plano era ir até Nordkapp, na Noruega, a última cidade do hemisfério norte antes do Polo Norte, 3 semanas no total. Seria o equivalente a Ushuaia na América do Sul. Não é que o carro deles me quebra, ontem - no primeiro dia de viagem - e o conserto custa 1300 euros? Além de tudo, ferrou com o cronograma deles pois o previsto era rodar 800km por dia em média pra poder chegar em Nordkapp a tempo mas eles não teriam como recuperar esse dia perdido. Conversa vai, conversa vem, a esposa dele começou a cozinhar um macarrão na cozinha do albergue e então eles me convidaram pra jantar juntos, me ofereceram cerveja e tal. Claro que eu aceitei e conversamos um tempão sobre nossas viagens, vida, bikes etc. Gente fina o holandês, pena que não faço a menor ideia de como escrever o nome dele aqui.



Exibir mapa ampliado

Um comentário: