13 de jul de 2010

01/07 Budapest a Kisbér - 161km

Depois de 5 dias de pausa, tava com vontade de seguir viagem. Mesmo em Budapest circulei com a bike alguns dias, já a cidade é bem plana e tem bastante ciclovias (aliás, o maior Critical Mass do mundo acontece lá, com mais de 8.000 participantes). Então essas voltas na cidade foi o que pude fazer pra não ficar parado.

Quanto ao próximo destino, meu plano inicial - antes de sair do Brasil - era dar um salto entre Budapest (Hungria) e Copenhagen (Dinamarca) de forma que eu tivesse tempo de conhecer a Escandinávia. Eu cortaria justamente o trecho entre a Eslováquia, República Checa e Alemanha, que dá mais de 1300Km, e também porque já conhecia esses dois últimos países. Fiquei na dúvida de como fazer esse atalho até Copenhagem. De avião (Easyjet ou Ryanair) seria muito caro porque eu teria que pagar um extra pela bike, em torno de 150 euros, sem contar que iria ter que embalar ela e os alforjes... muita encheção de saco. De trem o preço era muito alto (mais caro que o avião até) então só sobrou a opção de pegar um ônibus. Maravilha de ideia: barato e simples pra embarcar a bike. Mas dividi esse atalho em 2 trechos: primeiro de Györ (no norte da Hungria) até Dresden (Alemanha) no busão e em Dresden eu ia ver se o trem pra Copenhagen seria melhor que o busão.

Tudo decidido, peguei a estrada pra Györ. A ideia era pedalar pela ciclovia que vai de Budapest até Györ (na verdade ela começa na Alemanha e vai até a Romênia; é a maior da Europa), o tempo todo nas margens do Rio Danúbio. Daí o nome Donau Radweg (ciclovia do Danúbio). Beleza, saí pedalando alucinado depois de tantos dias parados em Budapest e fui que fui... Acontece que até metade do trajeto fui seguindo a ciclovia mas - num instante de genialidade - decidi mudar a rota um pouco e peguei uma estrada paralela, que também chegava em Györ. E fiz isso algumas outras vezes nesse dia. O problema é que fui perdendo a noção da kilometragem total, já que pra cada trecho que eu mudava a rota eu só via a kilometragem parcial de onde eu estava até o destino. E claro que essas rotas alternativas adicionavam mais e mais kms em relação a rota original. Nessa brincadeira, acabei pedalando 161km (meu recorde até agora) e ainda assim não consegui chegar em Györ por 35km. Se você traçar a rota pelo Google Maps vai ver que Budapest a Györ se faz em menos de 100km... Eu tava tão cansado, tão acabado, que não consegui chegar nem na casa de uma CS que eu tinha conseguido em Pér (cidadezinha vizinha a Györ). Que beleza! Nos últimos 5km comecei a pedir carona na estrada porque já estava ficando escuro (era quase 21h) mas no fim parei num b&b em Kisbér e de lá mandei uma mensagem pra Katalyn pedindo desculpas por não ter aparecido. Ela me respondeu dizendo que a mãe dela tinha preparado uma lasanha pra mim e que, se eu quisesse, poderia almoçar lá no dia seguinte, já que eu iria passar por Pér de qualquer jeito. Aceitei o convite e dormi igual uma pedra.

Lição do dia: não tentem fazer isso em casa, crianças. =)




Exibir mapa ampliado

Um comentário: