13 de jul de 2010

02/07 Kisbér a Pér - 22km

Saí do B&B mais ou menos descansado e segui em direção à Pér, que é pertinho de Györ. A Katalyn disse que morava no aeroporto (!) da cidade e eu pedi mais detalhes do endereço e ela disse de novo que morava literalmente no aeroporto. Ok, achei engraçado e fui até lá. Cheguei na portaria do aeroporto - que é bem pequeno por sinal - e logo o porteiro chamou a Katalyn. A história é que a mãe e a avó dela cuidam de um hotel/resturante que fica dentro do aeroporto. Além disso, ela é responsável por vôos turísticos (planadores, aviões de pequeno porte, para-quedas etc) e outras burocracias/serviços do aeroporto. Ela me serviu a lasanha e disse que se eu quisesse ficar uma noite lá no hotel não teria problema. O hotel é usado por pilotos e funcionários das cias aéreas que usam o aeroporto (normalmente transporte de cargas). Como eu não tinha CS em Györ, aceitei a oferta e fiquei lá. Não tive muita chance de conversar com ela porque ela passou a maior parte do tempo trabalhando. Acompanhei ela numa inspeção de uns aviões e planadores que iam voar naquela tarde. Ela ficou trabalhando e eu assisti o modorrento o jogo do Brasil contra a Holanda e achei que nenhum dos dois merecia ser campeão pelo futebolzinho que estavam jogando. Aliás, essa copa ninguém merecia ganhar. Deviam acumular o prêmio pra próxima em 2014, igual a Megasena. Todos os times jogaram mal, sem exceção. Bom, depois fui pro meu quarto descansar e à noite jantei no restaurante.



Exibir mapa ampliado

2 comentários:

  1. Massa! Morar num aeroporto é algo inusitado mesmo. A tia pilotava também, ou só fazia a manutenção/burocracia, será?

    ResponderExcluir