25 de mai de 2010

23/05 Interlaken a Brig

Acordei sem pressa já que iria ter que pegar o trem de qualquer forma. Tomei um café da manhã caprichado e logo fiz o checkout no albergue. Instalei os alforjes na bike, fui pedalando até a estação de trem e comprei o bilhete pra Brig por absurdos 54 francos suíços (40 euros mais ou menos). Considerando que é uma viagem curta, achei um pouco caro demais. E, pra minha surpresa, tive de pagar uma tarifa extra pela bike (uns 15 CHF pela bike e 39 CHF pela passagem) mas de resto foi tudo ok. O trem foide Interlaken à Spiez e em Spiez eu tive que trocar de trem, que ia de Spiez à Brig. Esse segundo trecho da viagem é um dos mais bonitos que se pode fazer pelos alpes nessa região então valeu a pena por isso. Cheguei em Brig um pouco depois do almoço e saí da estação já procurando por um albergue ou hotel pra ficar. Perguntei em um e estava lotado e no outro tinha vaga mas era muito caro pro meu bolso então voltei até a estação e pedi informação sobre hospedagem. Achei um barato não tão caro assim mas era num hotel/convento ou algo ligado a alguma igreja, cujas funcionárias eram todas freiras, por sinal não muito simpáticas. Quem me conhece sabe que não me senti muito confortável com isso mas faz parte da experiência e lá fui eu me hospedar num convento... Assim que saí da recepção e fui me acomodar no quarto, lembrei que estava com a bermuda de ciclismo, aquela de lycra, colada no corpo e sei que é proibido entrar em em algumas igrejas e ambientes religiosos com esse tipo de roupa. Antes que a freira fizesse algum comentário sobre isso, vesti uma bermuda por cima antes de voltar pra recepção e preencher a ficha lá. Acho que ela percebeu o que eu fiz e até quase me deu um sorriso. O convento ficava num lugar bem alto na cidade então pra descer até o centro e encontrar algum lugar pra comer eu preferi ir de bike (sem a carga, claro). Em 30 segundos de downhill eu já tava no centro e achei um restaurante razoável onde comi um macarrão nem tão razoável por um preço nem um pouco razoável. Dei umas voltas pela cidade (que parecia deserta, tudo fechado) e no fim da tarde voltei ao convento. Nada pra fazer, dormi cedo pra descansar pro dia seguinte pois eu não sabia quantos kms iria pedalar nem qual cidade iria dormir. Cheguei a tentar algum host do couchsurf em Varzo e Domodossola mas não  consegui ninguém. Tudo estava ainda em aberto mas, apesar de tudo, eu estava bem otimista quanto a aos lugares que iria passar e teria tempo suficiente pra procurar um lugar pra ficar, onde quer que fosse.



Exibir mapa ampliado

Um comentário: