17 de mai de 2010

17/05 Besançon a Neuchatel - 75Km

Saí de Besançon bem cedo e logo nos primeiros kilometros tive que encarar umas subidas muito fortes, acho que algo em torno de 18 graus de inclinação (!) ou mais. Se fosse só por 200 ou 300 metros não teria muito problema mas foram uns 3 ou 4 km assim... Então boa parte da minha energia se foi em 1 hora e meia. Depois o trajeto ficou mais plano, apesar de muito vento, com várias retas longas mas muitas subidas leves e longas também. Como eu tinha combinado de chegar em torno das 18h00 com meu host em Neuchatel, percebi lá pelas 16h00 que eu estava muito atrasado e não ia conseguir chegar à tempo se tentasse fazer todo o trecho de bike, além de já estar bastante cansado. Então a melhor decisão foi parar depois de 75Km pedalados e pegar um trem de Pontarlier (ainda na França) para Neuchâtel (Suíça), um trecho de mais ou menos 35 a 40Km. Foi um pouco frustrante, claro, mas foi a melhor coisa a fazer afinal não tinha que me matar pedalando mais do que o meu corpo aguentaria. Além disso, queria chegar com alguma disposiçãopra poder andar pela cidade e conhecer alguma coisa ainda nesse dia. No fim cheguei na hora certa e a host foi bem legal, mais uma vez. Tomei um banho e fui sozinho para o centro comer alguma coisa. Neuchâtel fica na beira do lago de mesmo nome e todo o entorno da cidade fica na montanha próxima ao lago. Existem várias cidades em volta do lago e acho que Neuchâtel é a maior delas. Na Suíça existem 4 línguas oficiais (francês, italiano, alemão-suíço e reto-romano), cada uma falada nas regiões próximas a cada um dos países. O reto-romano é uma mistura de latim e sei lá o quê e é falado só por 1% da população, que vive na região próxima da Áustria. Em Neuchâtel é possível perceber muita gente falando em alemão e as placas do comércio, de trânsito e outras sinalizações são escritas em francês e alemão. Usei o inglês pra tudo e foi mais fácil me comunicar do que nas cidades francesas, mas na França dá pra se virar só com inglês tranquilamente também. Outra diferença é que na Suíça a moeda oficial é o franco suíço, que equivale hoje a aprox. 0,7 euro. Você pode pagar com euros no comércio, restaurantes e mercados sem problema, mas o troco é sempre em franco suíço. E, claro, o custo de tudo na Suíça é um pouco maior do que na França e no resto Europa, mas nada assim tão absurdo. Uma boa ideia é não ficar tentando converter tudo em reais porque senão você começa a achar que tudo é absrudamente caro para os padrões brasileiros. O esquema pra economizar é o mesmo que a gente usa no Brasil: comprar comida em grandes supermercados. Aqui existe Coop e Migros em toda esquina e sempre é mais barato do que em mercados de bairros ou perto de pontos turísticos das cidades. Esses dois mercados vendem comida pronta para levar ou comer ali mesmo e vale bastante a pena. Dormi cedo e tentei descansar o quanto pude já que no dia seguinte eu ia ficar em Neuchâtel mesmo. Decidi também que daqui pra frente só irei tentar trechos de mais de 100km se o terreno for garantidamente plano, rsrsrsrs...



Exibir mapa ampliado

2 comentários:

  1. O Tour de France passa por essas cidades ... você está prevendo acompanhar alguma etapa ??

    ResponderExcluir
  2. O Pitu danado ..... que história é essa de pegar trem cara, você foi pra pedalar ou o que. É a tipíca decisão entre ser um homem ou um rato .. vc lembra né .. rsrsrsrsr

    e me diga, e as paisagens femininas como são por aí .. ta certo que nem aqui você gostava muito ,, mas .. fala ai ..

    forte abraço ..

    ResponderExcluir