25 de mai de 2010

22/05 Interlaken

Acordei cedo e o tempo estava excelente. Céu azul e temperatura boa, em torno de 18C, quase quente pra uma cidade no meio dos alpes suíços nessa época do ano. No meio do verão, entre julho e agosto com certeza faz mais calor. Peguei um trem especial que sobe até um mirante que fica na montanha oposta as montanhas com neve, a 1322m. De lá é possível ver Interlaken inteira (o que não é muito difícil pois a cidade tem só 5 mil habitantes), os dois lagos (Thunersee, do lado de Thun e o Brienzersee, do lado de Brienz e, claro, as montanhas mais altas. O pico mais alto da região se chama Jungfrau e tem um pouco mais de 4000m, além do Eiger e o outro que não me lembro o nome agora. Na Europa existem só alguns outros picos com mais de 4000m de altitude, sendo que o Mont Blanc (entre a França e Suíça) e o Monte Rosa são os maiores, se eu não estiver enganado. A visão da região de Interlaken é indescritível e parece que nem as fotos fazem justiça à beleza do lugar. Durante a tarde descansei um pouco, andei pela cidade e no começo da noite conversei com um chinês que estava hospedado no mesmo quarto que eu e ele comentou sobre assistir o jogo da final da Champion´s League entre Inter de Milão e Bayern de Munich em algum lugar. Na verdade eu nem lembrava que o jogo ia ser naquela noite mas achei a ideia legal e fomos procurar um bar onde tivesse uma TV passando o jogo. Achamos um que, apesar de não ser muito grande, tinha umas, sei lá, 10 TVs e 2 telões, tudo em alta definição (a qualidade da transmissão do jogo é impressionante). Já o futebol jogado, nem tanto...  A Inter até que jogou bem e mereceu ganhar mas o time do Bayern jogou muito mal e boa parte do jogo foi mais ou menos. Voltamos pro albergue e o quarto estava cheio de coreanos, pra variar. Achei engraçado até o chinês comentar comigo sobre a invasão coreana em Interlaken e ele não sabia explicar porquê tanto coreano visita a cidade. Demos bastante risada disso. O meu plano pro dia seguinte teve que ser mudado. A ideia inicial era atravessar o lago de Brienz, passar por Meiringen, Innertkirchen, cruzar o Grimselpass e chegar até Brig. O problema é que o Grimselpass (pass é um trecho em que uma estrada passa no topo de uma montanha, normalmente em altitudes acima de 1500m) ainda estava fechado e só abriria a partir do dia 28/05. Eles mantém esses passos fechados por causa do risco de avalanches e problemas com o degelo e só costumam liberar o trânsito no verão. Além do Grimselpass, pensei no Furkapass mas também estava fechado e só iria abrir em junho. De Interlaken não existem muitas estradas para a Itália que não passem por algum passos e só sobrou o Simplonpass, que estava aberto e eu poderia atravessar sem problemas. O único porém era que para atravessar o Simplonpass eu teria que ir até Brig de trem (via túnel em boa parte do trajeto) e pedalar a partir de Brig até Domodossola, uma das primeiras cidades depois da fronteira na Itália. Não gostei muito da ideia de não pedalar de novo no dia seguinte mas foi uma mudança necessária pra eu poder continuar na rota planejada. Também não posso chamar de "problema" porque qualquer região aqui na Suíça parece ser de cartão postal então não foi assim, digamos, um sacrifício.


Nenhum comentário:

Postar um comentário