10 de jun de 2010

07/06 Innsbruck a Stumm - 56km

Acordei umas 3 da manhã com o barulho da chuva, algo improvável de acontecer porque o dia anterior tinha sido inteiro sem nuvens. As 7h30 eu tava de pé e os caras ainda dormiam quando terminei de arrumar minhas coisas. Desci tudo até a garagem onde tava minha bike e ainda encontrei o holandês passando por ali. Conversamos um pouco sobre as bikes e nossas viagem e nos despedimos. Pena não ter tido mais tempo pra trocar ideia com ele. Com certeza o cara tinha muitas histórias pra contar, sempre é bom pra aprender, inspirar e motivar nossas próprias viagens. A parada de hoje seria em Stumm pois eu tinha conseguido um CS por lá. O trajeto foi bem tranquilo, plano quase o tempo todo e assim que saí de Innsbruck o sol começou a abrir e assim foi o dia todo. Uns 5km depois que eu saí de Innsbruck, completei meus primeiros 1000Km por aqui. Agora só faltam 2500km, eheheheh... Vou fazer um post com o resumo da viagem assim que completar um mês. Parei num McDonald´s numa cidadezinha no caminho pra ver se a menina do CS tinha respondido minha última mensagem (todo Mc tem free wifi, é uma mão na roda nesses casos). Ela confirmou que eu poderia ficar na casa dela, mas ela tava viajando e que o irmão tava sabendo e iria me receber numa boa. O único porém, disse ela, é que a casa fica numa rua na montanha ao lado da cidade, ou seja, depois de andar 50km eu ainda teria que encarar uma parede. Ela disse inclusive que o irmão dela chegaria lá pelas 21h do trabalho e poderia me dar uma carona de carro, da cidade até a casa. Eu disse que não tinha problema, que eu subiria de bike mesmo. MAS, inteligente que sou, só anotei o nome da rua mas não o NÚMERO da casa. Lembrava que era 42 ou 14, algo assim. Cheguei na cidade lá pelas 16h e fiquei matando o tempo por lá. Comi, sentei num banco numa praça, descansei um pouco, tirei fotos e tal, e lá pelas 19h decidi começar a subir a ladeira aos poucos, de forma que o Phillip (CS) talvez me encontrasse no caminho. A subida era bem puxada mesmo e aí entendi porquê a menina falou da carona... Mas tudo bem, aguentei até sem sofrer muito. Saí de 500 e subi a 1000m. A rua é uma zig-zag gigante, e você só vê uma casa a cada 3 zig-zags mais ou menos, elas são muito longe uma das outras. Pra minha alegria, a numeração começava no 1. Pra chegar na casa 3 levei uns 40 minutos. se a casa deles fosse mesmo a 42 eu chegaria lá na semana que vem. Fui sem pressa, tirando fotos, fazendo várias pausas e tal e lá pelas 20h30 eu tava na casa 43. Durante o trajeto não vi nenhuma casa 14 nem 42 e por isso não parei e fui subindo. Estacionei quase em frente ao número 43 e esperei até uma 21h ali na rua mesmo. Pensei que o Phillip me viria no caminho pra casa, mas quem disse que a casa dele estava naquela altura? E se fosse a 14 mesmo, mais embaixo? Ele nunca me viria. Sim, eu sei que fui idiota, mas só me dei conta disso depois. Vi no GPS que eu tava a 1090m... Se eu tivesse que descer de volta pra cidade ia ser um desperdício de tempo e energia. Cheguei até a ligar o netbook e ver se tinha alguma rede wifi disponível por ali pra acessar o site do CS e ver o número da casa, mas claro que no meio do mato não tinha. Que beleza! Mas no fim desci, fazer o quê? Fui pra cidade e dormi num hotel mesmo, feliz da vida. Gastei tempo, perna e dinheiro nessa confusão. Paciência, nem sempre o planejado dá certo. Depois mandei uma mensagem pra eles no CS pedindo desculpas pelo cano que eu dei. Apesar da burrada toda, o tempo tem ajudado (sol e calor) e as paisagens por aqui tem sido bem legais, inclusive a da rua do CS, que serviu pra pelo menos tirar uma fotos boas da região, heheheh...



Exibir mapa ampliado

Um comentário:

  1. Fer: gosto dessas fotos de estrada em curva...
    E esse gramado!!! tudo parece um jardim.

    ResponderExcluir