9 de jun de 2010

06/06 Innsbruck

Resolvi ficar mais um dia em Innsbruck pra descansar um pouco mais. Sabia que não ia (e não deveria) ter nada pra fazer mas de novo saí de manhã com a bike mas dessa vez fui bem sossegado, sem forçar nada. O azar é que o albergue fica no topo de uma ladeira bem  chata de chegar, seja à pé, de bike ou de carro. É daquelas ruas que você tem que colocar um tijolo no pneu do carro como calço pra garantir que ele não vai sair do lugar... E não posso reclamar do albergue: 17 euros num dormitório com 4 beliches. Tá entre os mais baratos que fiquei até agora, nada mal. No começo da tarde chegou um inglês no quarto (Johnattan), que só tinha eu como hóspede até então. Começamos a conversar e ele me convidou pra darmos uma volta e comer alguma coisa no centro e eu topei. Tava quase virando guia de Innsbruck pros mochileiros do albergue. Fomos de cable car até um mirante que existe ali perto do albergue, de onde se pode ter uma vista legal da cidade (860m, sendo que Innsbruck tem 570m). Daria até pra ir a 1500 ou 2200 metros mas o ticket custava 25 euros e achei caro só pra isso. Se ainda incluísse um almoço completo, vinho e sobremesa com especialidades austríacas, até poderia pensar... O inglês também achou bem caro, inclusive os 6,80 euros que a gente pagou pra aquele trecho que subimos. Paramos num restaurante pra comer uma pizza e voltamos pro albergue. Ele foi cochilar (e roncar, fdp) e eu fiquei no quarto arrumando umas coisas das minhas malas e nisso chegam mais dois hóspedes: um holandês (Walter) e um australiano (Tim). O holandês tava viajando de bike também. Ele saiu de Amsterdam e tava indo pra Jerusalém. A namorada dele trabalha na Índia e eles iriam se encontrar em Jerusalém daqui 5 meses. O cara já andou pela América do Sul (Argentina, Bolívia, Chile e Peru) pelo deserto do Atacama. Ficou lá por alguns meses. Também já atravessou a Índia, Paquistão, Cambodja, Vietnam e outros países dessa região, mais de 2 anos de viagem. Ele tem 26 anos e em Amsterdam é eletricista (!). Claro que ele faz uma viagem bem econônica pra aguentar todo esse tempo viajando então, por exemplo, ele leva uma barraca e acampa em campings ou no meio do mato quando dá certo, nunca come em resturantes (leva fogareiro, utensílios de cozinha etc) então economiza bastante. Ele só tava no albergue porque queria dormir um dia num colchão melhor que os que ele tem dormido. Já o australiano ficou fazendo um monte de perguntas pra mim e pro holandês sobre viajar de bicicleta e disse que o sonho dele é fazer um troço desse um dia. Ele tem 22 e por enquanto tá só viajando no esquema mochila/trem/albergue mas disse que a gente era uma inspiração pra ele. No fim ficamos os quatro no quarto conversando até antes de dormir: um brasileiro, um holandês, um australiano e um inglês (parece começo daquelas piadas toscas). Foi bem divertido, rimos bastante com o inglês que ficou contando as experiências dele na viagem até agora. Ele tem viajado usando o BusAbout (googleia pra saber mais), que é uma alternativa (sem graça na minha opinião) ao trem/Eurailpass. Eu e o holandês iríamos seguir viagem na manhã seguinte e os outros 2 continuariam em Innsbruck por mais uns dias. Sem fotos hoje!

Um comentário:

  1. Fer: muito interessante esses contatos. Acredito que eles completam o dia. Mas sem fotos... veremos depois. Bjs

    ResponderExcluir